Projeto de Pesquisa Bibliográfica

Um projeto elaborado com a finalidade de facilitar discentes na construção do próprio projeto. Como uma referência para a construção de um projeto próprio.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA

PROF. ALEXIS LEITE

ASSUNTO: PROJETO DE PESQUISA

 

I.         IDENTIFICAÇÃO:

  1. TÍTULO:

                       Doença de Parkinson e Fisioterapia

      2. ESTUDANTE/ENDEREÇO/FONE:

    Francisca Gomes de Carvalho

                        Residencial Planalto Uruguai, quadra 28 casa 58

                        Bairro Vale Quem Tem 64057-400 Teresina-Pi

                        Fone: (086) 231-3030 / 88150378; E-mail: franciscagc@zipmail.com.br

                                                                                                                                                                                          3. PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)/ENDEREÇO/FONE:

José Alexis Bezerra Leite

Conjunto Ipase, casa “CA”, nº 45

Aeroporto 64006-050 Teresina-Pi

Fone: (086) 3223-7885; E-mail: alexislt13@gmail.com

Pagina eletrônica: jornal.muleke.nom.br

                4.         INSTITUIÇÃO:

                       Universidade Federal do Piauí- UFPI

                       Departamento de Filosofia-CCHL

                       Campus Universitário

                       Bairro Ininga

                       Fone: (086) 2155786

                        Página eletrônica: www.ufpi.com.br

II.        DELIMITAÇÃO DO OBJETO

1. ASSUNTO

 

           Doença de Parkinson

2. TEMA

A dença de Parkinson e os benefícios do tratamento fisioterápico.

          3. FORMULAÇÃO DO PROBLEMA:

A fisioterapia aplicada à área das doenças neurológicas tem sido bastante explorada, devido aos diversos comprometimentos de motricidade que ela causa aos pacientes. É importante que se determine o real nível de comprometimento, uma vez que, por esta ser uma patologia degenerativa e progressiva, o tratamento fisioterapêutico adequado é de suma importância para minimizar e retardar a evolução da patologia, proporcionando a este paciente uma maior qualidade de vida e funcionabilidade. Com base nisso, qual a eficácia do tratamento fisioterapêutico para a Doença de Parkinson?

        4. JUSTIFICATIVA:

Segundo O’ Sullivan e Selmitz (1993), a doença de Parkinson ocorre em cerca de 1% da população acima dos 50 anos de idade, tornando-se crescentemente mais comum com o avanço da idade, chegando às proporções de 2,6% da população de 85 anos de idade. O grupo escolheu, então estudar a Doença de Parkinson na sua relação com a fisioterapia para ampliar o conhecimento a respeito deste tema, devido às proporções com que esta patologia atinge a população idosa e, também, entender como atua a fisioterapia no sentido de tornar a vida dos pacientes o menos difícil possível.

        5. OBJETIVO GERAL:

Descrever a doença de Parkinson, dando-se ênfase à eficácia do tratamento fisioterapêutico, para melhor compreender a relação entre a doença e o tratamento citado.

              5.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS:       

  1. Etiologia;
  2. Fisiopatologia, sintomatologia e seqüelas;
  3. Contribuição do fisioterapeuta e tratamento reabilitativo: “embora a terapia farmacológica seja a base do tratamento, a fisioterapia também é muito importante. Ela envolve os pacientes em seu próprio atendimento, promove o exercício, mantém ativos os músculos e preserva a mobilidade. Esta abordagem é particularmente benéfica quando o parkinsonismo avança, porque muitos pacientes tendem a permanecer sentados e inativos”. (Rowland, 1997)

IV.         METODOLOGIA

PRESSUPOSTO TEÓRICO:

 

                   Doença de Parkinson é uma doença neurológica que afeta os movimentos do indivíduo e causa tremores, lentidão dos movimentos, rigidez muscular, desequilíbrio e alterações na fala e na escrita.  Ninguém sabe exatamente com a doença surge e quem corre mais riscos de desenvolvê-la. Mas existem pistas. Onze genes foram associados à enfermidade. Segundo Andrew Lees, da universidade College London, na Inglaterra, no futuro, essas informações ajudarão a desenvolver terapias para corrigir os genes com defeito. (ISTO É/ 1802- 21/04/ 2004). “Atualmente, não há cura para esta doença e sua natureza é progressiva. Com um tratamento precoce e vigoroso (incluindo o fisioterapêutico), os seus efeitos podem ser minimizados e as complicações secundárias prevenidas ou minimizadas”. (O’ Sullivan e Schimitz, 1993). 

            2.         PROCEDIMENTOS:

       - O trabalho será realizado através de levantamento de informações em livros e revistas da biblioteca da UFPI e internet;

                        - Discussão em grupo.

            3.         PLANO PROVISÓRIO:

     INTRODUÇAO

–Etiologia;

–Fisiopatologia, sintomatologia e seqüelas;

–Contribuição do fisioterapeuta e tratamento reabilitativo é importante:

• Manter ou melhorar a amplitude do movimento em todas as articulações;

                              • Retardar o surgimento de contraturas e deformidades;

                              • Retardar a atrofia por desuso e a fraqueza muscular;

• Melhorar as condições respiratórias, a expansibilidade pulmonar e a mobilidade torácica;

                                        • Manter ou aumentar a independência da vida diária;

                    • Melhorar a auto-estima

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

 

V.        CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO:

PASSOS

A   T    I    V    I    D     A    D    E

T   E   M   P   O

INÍCIO

TÉRMINO

  1.  

LEITURAS EXPLORATÓRIAS E LEVANTAMENTO DAS FONTES

30/05/15

10/06/15

  1.  

LEITURA TEMÁTICA E FICHAMENTO

07/06/15

15/06/15

  1.  

CRÍTICA DA DOCUMENTAÇÃO

12/06/55

18/06/15

  1.  

PRIMEIRA REDAÇÃO DO ENSAIO

20/06/55

22/06/15

  1.  

REDAÇÃO FINAL DO ENSAIO

25/06/05

27/06/15

  1.  

ENTREGA DO ENSAIO

01/07/55

 

VI.      ESTIMATIVA DE CUSTO:

 

ORD

MATERIAIS E SERVIÇOS

UNIDADE

QUANT.

VALOR EM R$

1

Pesquisas na internet

1h = 1,50

3 horas

4,50

2

Impressão de páginas

1pag = 0,50

30 pág.

15,00

3

Condução de ônibus para reuniões do grupo na UFPI

1con = 0,75

30 cond.

22.50

4

xérox

1xer =0,07

75 copias

5,25

5

disquete

1 d = 1,20

1 disq

1,20

6

 

 

 

 

         T     O     T     A     L .......................................................................

48,45

VII.    REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS:        

ASSOCIAÇÃO BRASIL PARKINSON. Disponível em:  <http: //www.parkinson.org.br>. Acesso em: 06 jun. 2005.

REFERÊNCIA EM FISIOTERAPIA NA INTERNET. Disponível em: <http: //www.ugati.com.br/fisioweb>. Acesso em: 06 jun. 2005.

BUARQUE DE HOLANDA, Aurélio. Aurélio básico da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995. 380 p.

GIL, AntonioCarlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1994. 

O’ SULLIVAN, S. B., SEMMITZ, T. J.. Doença de Parkinson. In: Fisioterapia: avaliação e tratamento. 2. ed. São Paulo: Manole, 1993.

PESCUMA, Derna, CASTILHO, Antonio Paulo F. de. Referências Bibliográficas: um guia para documentar suas pesquisas incluindo Internet, Cd-Rom, miltimeios. São Paulo: Olho d’água, 2001. 113p.

ROWLAND, L. P. Distúrbio do movimento. In: MIRRIT: TRATADO DE NEUROLOGIA. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

THOMSON; SKINNER A; PIERCY, J. Mal de Parkinson. In: FISIOTERAPIA DE TIDY. 12. ed. São Paulo: Santos, 2000. 

Teresina,  de  de 2015.                                                

___________________________________

                        Xxxxx Xxxxxxx Xxxxxxxxx
Postado por em 11 de Maio de 2015 às 21:30
Atualizado em 11 de Maio de 2015 às 21:39

Curiosidades

Salvo pelo Gongo

A Inglaterra é um país pequeno, e nem sempre houve espaço para enterrar todos os mortos. Então, os caixões eram abertos, os ossos tirados e encaminhados.

Leia mais