Apresentação

Apresentação

Este é um local de encontros públicos entre nós.

Chamo-me José Alexis Bezerra Leite. Desde criança as pessoas preferem me chamar de Alexis. Nasci em 1954, em Teresina. Desde 1989 ministro aulas na UFPI, no Departamento de Filosofia. 

Aqui dou notícias sobre as minhas crenças e dialogo com as crenças dos meus convidados e convidadas. Deixo informações e orientações de estudo para os meus colegas de universidade. Recebo recados de cunho profissional e crítica diversas, que funcionam como espelho dos caminhos que sigo e invento. O melhor sentimento para expressar este lugar é dizer o que significa MULEKE, título desta página e do jornal aqui exposto. 

MULEKE na língua quimbundo, dos nativos bantos de Angola, significa menino: criança do sexo masculino. Em nosso português, os sinônimos: pequeno, miúdo, rapaz, garoto, guri, crila, curumim. Significa, também, o nosso tão conhecido moleque, que às vezes, designa negrinho, indivíduo sem palavra, ou sem importância; ou ainda, canalha, patife, velhaco. Isso tudo como substância. No campo da qualidade significa: engraçado, pilhérico, trocista, jocoso. O leitor e leitora designará MULEKE conforme o próprio interesse e limites de compreensão. Contudo, reclamamos para nós o significado original da palavra MULEKE(A): menino, menina, com todo o seu universo de significação: inocência, curiosidade, dependência, fragilidade, criatividade, ansiedade, medo e, sobretudo imaginação e espírito de aventura. A nossa intenção é a de proporcionar à comunidade mais um instrumento de diálogo, análise, notícia, porém ágil, informal e desinstitucionalizado. 

(Muleke, Teresina–PI, ano 1, nº 1, fev./1999)

Obrigado pela visita

 

A apresentação acima foi exposta no primeiro Muleke (Mk) escrito em papel. Posteriormente criei um site com o mesmo nome, acrescentando apenas o “net”. Hoje me encontro prestes a me aposentar da sala de aula, mas continuando nas lutas por transformações sociais que nos conduzam a um patamar mais participativo em todos os sentidos culturais, mas de modo fundamental na partilha mais igual das nossas riquezas com o nosso Povo. Esta já é a terceira versão da nossa página na internet.

Postado por em None

Curiosidades

Salvo pelo Gongo

A Inglaterra é um país pequeno, e nem sempre houve espaço para enterrar todos os mortos. Então, os caixões eram abertos, os ossos tirados e encaminhados.

Leia mais